Jim Simons: conheça o bilionário que foi um dos maiores filantropos dos EUA

jim simons: conheça o bilionário que foi um dos maiores filantropos dos eua

O bilionário Jim Simons faleceu na última sexta-feira aos 86 anos, em sua casa em Manhattan, nos Estados Unidos. O professor de matemática, que presidiu o departamento de exatas da Universidade de Stony Brook, deixou a carreira de lecionador aos 40 anos para se aventurar no mercado financeiro. Ele fundou o fundo de hedge Renaissance Technologies em 1982 e criou seu Fundo Medallion em 1988, famoso por superar o mercado em geral.

  • Siga o canal da Forbes e de Forbes Money no WhatsApp e receba as principais notícias sobre negócios, carreira, tecnologia e estilo de vida

A Renaissance valoriza mentes matemáticas em seu quadro de funcionários, sendo que 90 de seus 300 empregados têm doutorado em matemática, física, ciência da computação ou campos relacionados. Atualmente, o fundo gerencia cerca de US$ 50 bilhões em ativos. O Medallion, por décadas, só esteve aberto a Simons e aos funcionários da empresa. Ele cobra uma taxa de gestão de 4% e taxas de desempenho variando de 36% a 44%, mais altas do que seus concorrentes, mas tem valido a pena. Após as taxas, o fundo ainda gerou um retorno líquido anualizado de mais de 30% desde o início. Para ter base de comparação, a Berkshire Hathaway de Warren Buffett conseguiu um ganho anual composto de 20%.

Esse histórico fez de Simons a 51ª pessoa mais rica do mundo no momento de sua morte, com uma fortuna estimada em US$ 31,4 bilhões (R$ 162 bilhões). Ele apareceu pela primeira vez na Forbes na lista dos 400 mais ricos dos Estados Unidos em 2004, com um patrimônio líquido de US$ 2,5 bilhões (R$ 13 bilhões).

Simons era intensamente reservado, e os detalhes da estratégia de investimento que impulsionou seu sucesso permanecem em grande parte um mistério. Ele fez sua última aparição pública em setembro de 2023 no evento da Forbes sobre Filantropia em Nova York. Jim creditou à sua esposa Marilyn Simons por ser a força motriz inicial por trás da Fundação Simons, que eles fundaram em 1994. “Eu apenas ganhei o dinheiro e Marilyn o distribuiu”, brincou ele no palco.

Nos últimos anos, Simons se dedicou pessoalmente à sua instituição de caridade. Ele se afastou da liderança da Renaissance em 2010, e ele e Marilyn doaram mais de US$ 6 bilhões (R$ 31 bilhões), tornando-os os sextos maiores doadores filantrópicos dos EUA. A Fundação Simons, que tinha US$ 4,9 bilhões (R$ 25 bilhões) em ativos até seu último documento fiscal disponível, apoia principalmente a educação e a pesquisa em matemática e ciências.

“Conforme a economia se torna cada vez mais dependente de habilidades quantitativas, estamos ficando para trás no ensino delas”, disse Simons à Forbes em 2016.

No ano passado, os Simons prometeram US$ 500 milhões (R$ 2,5 bilhões) ao longo de sete anos para a Universidade Stony Brook, na segunda maior doação já feita a uma faculdade pública. Simons tornou-se presidente do departamento de matemática lá aos 30 anos, depois de passagens pelo ensino em Harvard e MIT, e tornou-se renomado por seu trabalho em topologia e compreensão das características de formas geométricas complexas. Em 1976, ele ganhou o Prêmio Oswald Veblen da Sociedade Americana de Matemática, a mais alta honra no campo da geometria.

A escola também é onde ele conheceu sua esposa enquanto ela era estudante de doutorado. O casal continuou a investir pesadamente na educação matemática e, em 2004, fundaram a Math for America, que fornece bolsas de estudos para professores. A fundação doou milhões para o Museu Nacional de Matemática, conhecido como MoMath, em Nova York.

Em uma entrevista de 2017 à Forbes, Simons explicou por que ajudar os professores de matemática era importante para ele. “Se você sabe matemática suficiente hoje para ensinar no ensino médio, então provavelmente sabe o suficiente para trabalhar no Google, no Goldman Sachs ou na Renaissance Technologies”, disse ele. “Eles pagam muito mais do que o ensino médio. Isso significa que não muitas pessoas que sabem o assunto vão entrar nesse campo, o campo do ensino.”

A Fundação Simons também distribuiu milhões de dólares para apoiar pesquisas sobre câncer e autismo. “Temos uma equipe na fundação que gasta US$ 100 milhões (R$ 515 milhões) por ano trabalhando com autismo e entendendo-o melhor”, disse Simons.

(Traduzido por Poliana Santos)

OTHER NEWS

52 minutes ago

Vinícius Júnior abre o jogo sobre a transferência de Mbappé ao Real Madrid

53 minutes ago

Saiba mais sobre a PEC que altera a posse de terrenos da Marinha

53 minutes ago

Terceira parcela do Pé-de-Meia começa a ser paga nesta segunda-feira

53 minutes ago

Teto de juros do consignado do INSS cairá para 1,66% ao mês

56 minutes ago

Deputados aprovam criação de novos cargos para o concurso público da Assembleia

56 minutes ago

Renault Duster Tech Road 2.0 2015: 10 pontos para observar antes de comprar

56 minutes ago

Concurso da Caixa divulga gabarito da prova; veja como consultar

59 minutes ago

Na Netflix: 7 doramas e k-dramas de terror para quem gosta de mistério

59 minutes ago

Dengue continua crescendo em todos os distritos de São Paulo

59 minutes ago

Neto 'crava' que Richarlison, do Tottenham, pode ir para o Vasco: "Está insatisfeito"

59 minutes ago

Samsung anuncia o Galaxy M35 5G com bateria que nunca mais acaba

1 hour ago

António Oliveira faz pedido ousado à diretoria do Corinthians

1 hour ago

Red Bull contabiliza prejuízo em acidente de Pérez em Mônaco: “De R$ 10 a 15 milhões”

1 hour ago

Vídeo: Hvem var RAF-piloten som døde i ulykke med andre verdenskrigs Spitfire-jagerfly

1 hour ago

Piauí e Ceará travam batalha final por territórios com corrida por mapas e troca de acusações

1 hour ago

Cordas são cortadas perto do topo do Everest e Nims Purja cita sabotagem

1 hour ago

Galvão revela desejo de voltar a narrar Fórmula 1 após GP de Mônaco

1 hour ago

Professores da UFMG vão decidir nesta semana se continuam com a greve

1 hour ago

Ioga com leitões: Como fazer exercício de forma divertida

1 hour ago

Tribunal obriga CGD a dar informações sobre trabalhadores em "outsourcing"

1 hour ago

AVB para Conceição: «Muito obrigado por tudo o que fez pelo clube»

1 hour ago

São Paulo já tem quatro vezes mais casos de coqueluche que em 2023

1 hour ago

MP obtém condenação de pecuarista que devastou área equivalente a 867 campos de futebol no Parque Estadual de Guajará-Mirim

1 hour ago

Em privado, Papa opôs-se a seminaristas gay: "Já há muita paneleirice"

1 hour ago

Rendas de pessoas deslocalizadas em trabalho a mais de 100 km vão poder ser deduzidas

1 hour ago

Paulinho se emociona e cita gratidão ao anunciar saída do Corinthians: “Clube que amo”

1 hour ago

Matheus Pereira melhor meia do Brasil: concorda? De La Cruz, Payet, Arrascaeta, Coutinho e Veiga ficam atrás

1 hour ago

Mãe tentou afogar, asfixiar e envenenar o filho em pleno hospital. Mulher acaba sem vida na prisão

1 hour ago

Video: Kina bruger kraftfulde J-20 til at true Taiwan

1 hour ago

Padre Ricardo Esteves: “Ser feliz é ter muitos conhecidos e poucos amigos”

1 hour ago

Rodrigo Faro afirma ser vítima de esquema de corrupção: Pego de surpresa

2 hrs ago

"Miguel Albuquerque tem horror a pobres", disse Filipe. A história do JPP e "da poção mágica dos druidas de Gaula"

2 hrs ago

Vídeo mostra caixões vazios em funerária de Cachoeirinha, e não mortos ‘escondidos’ em Canoas (RS)

2 hrs ago

BE defende meios para defesa da Ucrânia mas deixa alerta

2 hrs ago

Rio inicia nova etapa de vacinação contra a covid nesta terça-feira

2 hrs ago

Minha Casa, Minha Vida aumenta vendas e lucros da construção civil

2 hrs ago

Não há Chromecast ou Fire TV Stick que resista: este aplicativo permite enviar qualquer arquivo para sua TV ou alto-falante

2 hrs ago

R$ 10,3 milhões: Santos encaminha saída de atacante fora dos planos de Carille

2 hrs ago

Francisco Monteiro e Márcia Soares surpreendidos nos bastidores do "Big Brother": "Um máximo!"

2 hrs ago

“Climão”; Lívia Andrade comete gafe no Domingão e deixa Micael Borges sem graça